Existem outras formas de tratamento para a depressão além dos medicamentos?

A Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é uma forma de tratamento não medicamentoso, de doenças psiquiátricas, especialmente a depressão.
Funciona através de pulsos magnéticos, com frequência de 1 a 20 pulsos por segundo. Este pulso magnético atinge áreas específicas do cérebro e promovem a melhora dos sintomas.
Esta melhora se dá por aumento de conexões entre os neurônios e crescimento de novos neurônios em uma área importante do cérebro, o hipocampo. O tratamento com a EMT permite diminuir os medicamentos e em alguns casos, eliminá-los.
A eficácia é comparável à de um bom antidepressivo – em torno de 80%. Isto pode ser interessante para quem não responde  bem a antidepressivos. Nestes se incluem os que apresentam melhora parcial (resposta) e os que apresentam uma melhora total ou próxima disto (remissão).
A eficácia pode ser ampliada dependendo dos parâmetros escolhidos (aqui inclui a escolha da bobina) e o número de sessões. Isto aumentar a chance de resposta e remissão.
A maior parte dos pacientes querem saber se tem algum risco ou se pode trazer algum prejuízo ao paciente? A resposta é não. É um procedimento seguro, indolor que permite ao paciente se manter acordado. O paciente pode dirigir ou até mesmo fazer uma prova, imediatamente após a sessão.

Talvez o maior prejuízo causado pela depressão seja a perda da funcionalidade, isto é, não conseguir trabalhar, estudar ou mesmo manter um relacionamento. Em alguns casos os antidepressivos melhoram os sintomas mas não melhoram a funcionalidade na mesma proporção. A principal razão são os efeitos colaterais dos antidepressivos. Isto pode ser evitado com a Estimulação Magnética Transcraniana.